HPV e Fases da Infecção Viral - Patogênese

1. Entrada no hospedeiro (ataque)

Após o contato com uma pessoa infectada, o HPV inicia o ataque que ocorre em uma célua alvo (geralmente células da camada basal ou parabasal), que apresenta um receptor específico.

O vírus penetra através de:

• Solução de continuidade, que são lesões na pele ou mucosa.
• Zonas de Transformação (ZT), que é a transição entre dois epitélios diferentes:
• Colo uterino;
• Locais do trato respiratório superior (cavidade nasal, paranasal e seios da face);
•Brônquios.

 2. Replicação primária (penetração)

• Ocorre nas células basais e parabasais do epitélio escamoso.
• Tem centenas de partículas virais maturas.
• Não está integrado ao genoma do hospedeiro (forma epissomal).

3.Abertura e dispersão no hospedeiro (uncoating)

• Após penetração no citoplasma, a cápsula é total ou parcialmente removida e o genoma viral é exposto.
• Espalha-se de célula para célula.

4.Tropismo celular e tecidual (transcrição)

O vírus entra no núcleo da célula alvo e continua seu ciclo de replicação executando a transcrição do seu DNA em RNA. A transcrição é restrita às células epiteliais escamosas. Existe uma predileção para a pele e mucosas.

5. Resposta imunológica do hospedeiro (translação)


Seguindo a transcrição, o RNA transcrito é translatado em proteínas E (early) ou L (later).

6. Replicação scundária (replicação)

• O genoma do HPV pode replicar em várias linhagens celulares indiferenciadas, quando as proteínas E1 e E2 se expressam.
• Somente a porção do vírus que alcança o núcleo sofre replicação.

7.Montagem das partículas virais (dano celular)

Temos estudos recentes tentando elucidar como as proteínas L1 e L2 interagem na fase de montagem da cápsula.

8.Maturação e liberação (persistência)


Esses estágios finais do ciclo de vida viral (montagem, maturação e liberação) são difíceis de ser intepretados isoladamente, pois frequentemente ocorrem simultaneamente.

Maturação: fase na qual o vírus se torna infeccioso, ocorrem mudanças estruturais  na partícula viral, com mudanças estruturais no capsídeo, detectado com diferença na antigenicidade.
Liberação: fase em que o vírus é eliminado da célula, ocorrendo uma ruptura celuar, conheciodo como desabrochamento. Talvez o gene E4 esteja envolvido na liberaçào por alterar a integridade do esqueleto celular, pois é encontrado aos filamentos de queratina.